Congresso Brasileiro Sobre Crustáceos (CBC)
The Crustacean Society (TCS) Summer Meeting

TEMA

Tradição e Inovação:
Abordagens Integrativas ao estudo de Crustáceos

S1: To Encourage Study on the Systematics and Biology of Aegla

O fascinante táxon Aegla está distribuído apenas em seis países da América do Sul (Brasil, Chile, Argentina, Uruguai, Paraguai e Bolívia) e, por isso, tem sido estudado principalmente por pesquisadores de língua portuguesa e espanhola. O CBC.TCS.2022 é a oportunidade perfeita para a comunicação entre esses cientistas latino-americanos e sul-americanos e o resto da comunidade internacional. Os organizadores do simpósio também pensam que os congressos científicos internacionais devem ser um local importante para que jovens estudantes, pesquisadores ou cientistas em início de carreira participem e possam compartilhar seus conhecimentos.

Part I: Taxonomy, Phylogenetics, Diversity and Distribution

COORDINATOR

Sérgio Bueno

Universidade de São Paulo, SP (Brazil)

COORDINATOR

Tadashi Kawai

Hokkaido Research Organization (Japan)

Taxonomy and Phylogenetics of extant aeglids

Sandro Santos

Universidade Federal de Santa, UFSM (Brazil)

Spermiotaxonomy

Milena Wolf

Universidade Estadual Paulista – UNESP Câmpus de Botucatu (Brazil)

Diversity and distribution of aeglids in Brazil

Gustavo Teixeira

Universidade Estadual de Londrina, PR (Brazil)

Duração: 80 minutos.

Part II: Reproduction, Physiology and Populational Studies

COORDINATOR

Milena Wolf

Universidade Estadual Paulista – UNESP Câmpus de Botucatu (Brazil)

COORDINATOR

Christopher Tudge

American University, Washington DC (USA)

Latitudinal Gradient and Reproductive Pattern in Decapods, with Emphasis on Aeglids

Antonio Castilho

Universidade Estadual Paulista, Botucatu, SP (Brazil)

Physiological Ecology

John McNamara

Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras - USP/RP (Brazil)

Population size estimation

Sérgio Bueno

Universidade de São Paulo, SP (Brazil)

Duração: 80 minutos.

ROUND TABLE:
“New challenges in aeglid conservation”

COORDINATOR

Sandro Santos

Federal University of Santa Maria, RS (Brazil)

COORDINATOR

Laura Lopez-Greco

University of Buenos Aires, Buenos Aires (Argentina)

Conservation status of aeglids from Brazil

Harry Boos

Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (Brazil)

Conservation status of aeglids from Argentina

Veronica Williner

Universidade Nacional del Litoral (Argentina)

Conservation status of aeglids from Chile

Carlos G. Jara

Instituto de Ciencias Marinas y Limnológicas, Universidad Austral de Chile, Valdivia (Chile)

Duração: 80 minutos.

Observation: A very sensitive homage to Dr. Georgina Bond-Buckup and Dr. Ludwig Buckup is scheduled to be delivered by Dr. Carlos Jara and Dr. Sandro Santos following the conclusion of the Round Table.

S2: Impactos Ecossistêmicos da Pesca de Camarão: Identificando os Principais Problemas e as Possíveis Soluções

COORDINATOR

Ecological impacts of shrimp fisheries: lessons from Patos Lagoon Estuary

Luiz Felipe Dumont

Universidade Federal do Rio Grande - FURG (Brazil)

Pesca de camarões e mudanças climáticas

Karina Annes Keunecke

Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro - UFRRJ (Brazil)

Bycatch from shrimps fisheries: a cryptic and vital resource to underpin ecosystem management actions in Brazil

Jorge Luiz Rodrigues

Universidade do Estado de Santa Catarina - UDESC (Brazil)

CAN CLIMATE CHANGE REDUCE SHRIMP CAPTURE IN BRAZIL?

Fúlvio Aurélio de Morais Freire

Universidade Federal do Rio Grande do Norte - UFRN (Brazil)

Duração: 2 horas.

A pesca de crustáceos representa uma porcentagem importante do mercado pesqueiro global e desempenha um papel fundamental nos ecossistemas onde ocorre. Adicionalmente, estas pescarias têm sido consideradas como uma das atividades mais impactantes para os ecossistemas marinhos, produzindo grandes quantidades de descartes e graves danos à fauna bentônica. Além disso, a maior parte da captura é originada da pesca de arrasto com motores a óleo. Para lidar com os impactos ecossistêmicos causados pela pesca de crustáceos é vital entender o papel dos crustáceos nas teias tróficas, bem como identificar os danos colaterais dessas práticas e, eventualmente, desenvolver novas tecnologias para reduzi-los. Dentre as possíveis soluções para mitigar os danos causados pela pesca do camarão, a adoção de Dispositivos de Redução de Capturas Acessórias (BRDs) tem sido amplamente adotada.

S3: Ecologia e Diversidade de Crustáceos Subterrâneos: da Superfície ao Subterrâneo

COORDINATOR

What Do We Know About Subterranean Crustaceans In South America? Shortfalls And Threats

Maria Elina Bichuette

Universidade Federal de São Carlos - UFSCar (Brazil)

An overview of cave Hyalellidae

Ludmila Rocha Penoni

Universidade Federal de Lavras - UFAL (Brazil)

Brazilian Subterranean Isopods

Giovanna Monticelli Cardoso

Universidade Federal de Lavras - UFAL (Brazil)

The Use of the Molecular Tool in Terrestrial Isopods (Oniscidea): An Approach into Cave Fauna

Dr. Ivanklin Soares Campos Filho (University of Cyprus, Republic of Cyprus)

University of Cyprus (Republic of Cyprus)

Duração: 2 horas

Globalmente, a fauna subterrânea é dominada por artrópodes e, não surpreendentemente, por crustáceos pertencentes às classes Maxillopoda, Ostracoda e Malacostraca, que compõem a maior parte da fauna subterrânea aquática. Por exemplo, o gênero Niphargus (anfípodes da Eurásia) compreende mais de 300 espécies, enquanto o gênero Stygobromus (anfípodes predominantemente norte-americanos) consiste em mais de 150 espécies, embora nenhuma delas de superfície seja conhecida para nenhum dos gêneros. O conhecimento da ecologia dos táxons de superfície é crucial para a compreensão dos fatores que contribuem para a colonização inicial das águas subterrâneas. Alguns táxons de crustáceos na América do Sul, e especialmente no Brasil, consistem em múltiplas espécies superficiais e subterrâneas, como anfípodes do gênero Hyalella, de decápodes do gênero Aegla, entre outros. O objetivo deste simpósio é reunir pesquisadores que estudam a biologia de crustáceos de superfície, subterrâneos, ou ambos, para explorar semelhanças ou diferenças específicas entre grupos taxonômicos que possam esclarecer as forças que contribuem para a colonização de habitats subterrâneos e a dinâmica evolutiva desses táxons em ambientes subterrâneos.

S4: Estudos Integrativos de Lagostins de Água Doce na América do Sul

COORDINATOR

Tadashi Kawai

Hokkaido Research Organization (Japan)

COORDINATOR

Integrative taxonomy and cryptic diversity in Parastacidae: history, development and future trends

Felipe Ribeiro

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) and Universidade do Estado do Mato Grosso (UNEMAT)

An overview of the freshwater decapod crustacean fauna of South America

Célio Magalhães

University of São Paulo, Ribeirão Preto (Brazil)

Double trouble: astaciculture and pet trade as vectors for the introduction of exotic freshwater crayfish in South America

Tainã Gonçalves Loureiro

Cape Peninsula University of Technology / Global Ocean Accounts Partnership

Systematics and population genomics of the burrowing crayfish Parastacus nicoleti in Southern Chile

Luis Amador

The University of New Mexico (USA)

Habitat diversity and conservation of freshwater crayfish in Brazil: an approach based on current distribution and future predictions

Kelly Gomes

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Brazil)

Freshwater crayfish in Brazilian Protected Areas: conservation, diversity and threats

Augusto Huber

Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Brazil)

Duração4 horas

Os lagostins de água doce (Decapoda: Astacidea) abrangem quase 700 espécies distribuídas em todo o mundo, exceto na África continental e na Antártida. Podem ser encontrados em diversos tipos de habitats limnéticos, como riachos, lagos, pântanos, florestas pantanosas e cavernas. Na América do Sul, várias novas espécies endêmicas foram descobertas e descritas nos últimos anos, usando morfologia tradicional e taxonomia integrativa e, também, o desenvolvimento de estudos comportamentais e genéticos. O avanço dos estudos integrativos dos lagostins sul-americanos contribuirá no estudo da evolução dos lagostins de água doce no mundo. No entanto, a presença de lagostins exóticos na América do Sul, especialmente no Brasil, traz novas e sérias ameaças para a conservação da biodiversidade e dos ecossistemas nativos. O presente simpósio trará as informações mais recentes de estudos integrativos de Parastacidae na América do Sul, levando em consideração a sistemática, genética de populações, biogeografia, modelagem de distribuição, comportamento, caracterização de habitat, conservação e espécies exóticas de lagostins. Este simpósio revelará todas as pesquisas desenvolvidas com lagostins na América do Sul e incentivará novos alunos a trabalhar na área da Astacologia.

S5: Anfípodes como Modelos em Estudos Multidisciplinares

COORDINATOR

Amphipods as models in multidisciplinary studies

Fosca Pedini Pereira Leite

Universidade de Campinas - UNICAMP Campus de Campinas (Brazil)

Amphipods: applications and future opportunities

Jose Manuel Guerra García

University of Seville (Spain)

State of knowledge on the taxonomy of the Order Amphipoda in Brazil

Cristiana Silveira Serejo

Museu Nacional – UFRJ (Brazil)

Parhyale hawaiensis as model organism in ecotoxicology

Gisela de Aragão Umbuzeiro

Universidade de Campinas - UNICAMP Campus Limeira (Brazil)

Marine amphipods as models to study biological invasions

Agnese Marchini

University of Pavia (Italy)

ROUND TABLE:
“Contribution to increasing knowledge of the evolution and phylogeny
of amphipods in Brazil and future perspectives”

COORDINATOR

Silvana Gomes Leite Siqueira

Universidade de Campinas – UNICAMP Câmpus de Campinas (Brazil)

Diversity of Freshwater Amphipods of the Genus Hyalella

Rayssa Karolina Ferreira Borges

Universidade Federal de Lavras – UFLA (Brazil)

Diversity in Lysianassidira: State of Art and Perspectives

André Resende de Senna

Universidade do Estado do Rio de Janeiro – UERJ (Brazil)

Amphipod Fouling: Diversity, Biogeography and Drivers of an Understudied Community

Andrea Desiderato

University of Lodz (Poland)

The family Phoxocephalidae in Brazil: Past, Present and Future Perspectives

Luiz Felipe de Andrade

Museu de Oceanografia da Universidade Federal de Pernambuco – MOUFPE (Brazil)

Evolutive Genomics of Ampithoe in Western Atlantic

Tammy Iwasa-Arai

Instituto de Biologia, Universidade de Campinas – UNICAMP (Brazil)

Amphipods as Models in Multidisciplinary Studies

LECTURE

New DNA barcoding-driven perspectives on the diversity and evolution of marine Peracarida (Crustacea): the case of the Macaronesia’s hotspot

Filipe José Oliveira Costa

Centro de Biologia Molecular e Ambiental (CBMA) Universidade do Minho (Portugal)

ROUND TABLE:
“Amphipods as Ecological Models“

COORDINATOR

Amphipods AS BIOINDICATORS

Giuliano Buzá Jacobucci

Universidade Federal de Uberlândia – UFU (Brazil)

Amphipods associated with algae as ecological models

Silvana Gomes Leite Siqueira

Universidade de Campinas – UNICAMP Câmpus de Campinas (Brazil)

Duração: 8 hours.

O simpósio proposto consiste em palestras compatíveis com o tema geral do evento, que é “Tradição e Inovação: Abordagens Integrativas para o Estudo de Crustáceos", com vistas a abordar temas que podem ser relacionados à: Taxonomia e Filogenia; Ecologia e Biodiversidade; Genética e Conservação; e Fisiologia e Toxicologia. Os temas foram escolhidos devido ao grande número de trabalhos atuais sobre este grupo, amplamente distribuídos não só no Brasil como no exterior.

S6: A corrida à paternidade em decápodes: análise morfofuncional da transferência e armazenamento de esperma

COORDINATOR

Laura Lopez Greco

Universidad de Buenos Aires (Argentina)

COORDINATOR

Fernando José Zara

UNESP FCAV, Campus de Jaboticabal (Brazil)

How do I love thee? Let me count the ways.” A summary of decapod sex practices!

Christopher Tudge

American University, Washington DC

How shrimps “do it”: Insemination Morphology, Function And Evolution In Decapod Shrimps.

Raymond Thomas Bauer

University of Louisiana, Lafayette

How to transfer spermatophores in Brachyura? Form and function of the gonopods.

Mariana Antunes

Department of Zoology - Institute of Biosciences - Unesp, Botucatu (Brazil)

Do we take mating dynamics into account in crustacean fisheries management?

LUIS MIGUEL PARDO SUAZO

Universidad Austral de Chile y Centro de Investigación Dinámica de Ecosistemas Marinos de Altas Latitudes (IDEAL)

Duração: 2 horas.

Os crustáceos decápodes apresentam uma notável diversidade no que diz respeito às suas estratégias reprodutivas e estruturas anatômicas subjacentes. Assim, os caracteres dos sistemas reprodutivos dos decápodes sempre desempenharam um papel importante na resolução das relações filogenéticas dentro desse grupo. Os sistemas copulatórios masculinos que funcionam na entrega de espermatozóides à fêmea podem fornecer importantes caracteres taxonômicos para a identificação das espécies. No entanto, especialmente os gonópodes muitas vezes mostram adaptações estruturais e funcionais que são características de certos taxa de decápodes de nível superior e correspondem fortemente às estruturas femininas que recebem espermatozóides. Dentro dos decápodes, duas características reprodutivas muito importantes evoluíram no sistema reprodutivo feminino. A primeira característica é o armazenamento de esperma em estruturas femininas especializadas. O armazenamento de esperma de qualquer tipo permite desacoplar o momento da inseminação (no acasalamento) e a fertilização real dos óvulos (na desova). Enquanto uma variedade de fêmeas de crustáceos decápodes desenvolveu estruturas de armazenamento de esperma (p. ex., Cambaridae, Nephropidae, Brachyura), um modo de fertilização interna evoluiu apenas em Eubrachyura.
Assim, o objetivo principal deste simpósio é comparar os diversos modos de transferência e armazenamento de espermatozoides entre diferentes grupos de crustáceos decápodes e discutir as implicações filogenéticas dos estados de caráter observados. Contribuições sobre os sistemas reprodutivos de isópodes também são bem-vindas, pois representam o único outro grupo de crustáceos que exibem armazenamento de espermatozóides em estruturas femininas especializadas e mostram uma gama de convergências para decápodes.

S7: Usando a Biologia Integrativa e Sistemas de Modelo de Crustáceos para Entender a Natureza

COORDINATOR

Heather Bracken-Grissom

Florida International University (USA)

COORDINATOR

Charles derby

Georgia State University (USA)

Swallow or spit? Last-chance decision making in the blue crab, Callinectes sapidus Rathbun, 1896 (Brachyura: Portunidae) and the spiny lobster, Panulirus argus Latreille, 1804 (Achelata: Palinuridae)

Juan Aggio

Georgia State University (USA)

Using an integrative approach to assess habitat transitions and phylogenetic relationships within Brachyura

Lauren Ballou

Florida International University (USA)

The impact of diel vertical migration on visual gene expression in deep-sea shrimp

Danielle DeLeo

Smithsonian National Museum of Natural History (USA)

Insulin-like peptides: limb regeneration and molt influencers

Mihika Kozma

Colorado State University (USA)

Crustaceans as an alternative model for neurodegenerative conditions

Carlos Augusto Gomes

Universidad Federal do Rio de Janeiro (Brasil)

Living in a changing world: effects of climate change on crustacean behavior and physiology

Jörg Hardege

University of Hull (United Kingdom)

Evolution of amphipod body patterning

Jenny McCarthy

Marine Biological Laboratory (USA)

The ambit of planktonic copepods

Rudi Strickler

University of Wisconsin Milwaukee (USA)

How to become a crab: Phenotypic constraints on a recurring body plan

Joanna Wolfe

Harvard University (USA)

Effects of social environment on neurobehavioral mechanisms in crayfish

Jens Herberholz

University of Maryland (USA)

Floating stuff in the oceans and what crustaceans have to do with it

Martin Thiel

Universidad Catolica del Norte (Chile)

The Hitchhiker's Guide to Terrestriality: Unearthing the genomic basis of terrestrial adaptations in decapod crabs

Victoria Watson-Zink

University of California-Davis / Stanford University (USA)

Duração4 horas

Este simpósio destaca o poder das abordagens integrativas na compreensão dos crustáceos. Os palestrantes apresentarão trabalhos usando abordagens de sistemas comparativos e de modelos / técnicas de biologia molecular, de sistemas e análises comportamentais para abordar questões maiores e relevantes para biólogos de crustáceos. Os tópicos serão diversos e os palestrantes serão incentivados a apresentar seus trabalhos no contexto mais amplo possível.

S8: O que a Ecologia Comportamental e Evolução podem nos ensinar sobre os Crustáceos?

COORDINATOR

How Fighting Influences Claw Biomechanics and Evolution

Alexandre Varaschin Palaoro

Clemson University (USA)

Sexual Selection and the Evolution of Courtship Waving Displays in Fiddler Crabs

Daniela M. Perez

Max Planck Institute of Animal Behavior (Germany)

What a Colorful World: The Study of Animal Coloration and Camouflage Using Decapod as Study Systems

Rafael Campos Duarte

Universidade Federal do ABC – UFABC (Brazil)

Using Functional Morphology to Understand Crayfish Behavior and Evolution

Zackary Graham

(West Liberty University (USA)

Duração: 2 horas.

A natação contínua pode melhorar o condicionamento físico porque torna mais provável encontrar um parceiro. No entanto, a natação contínua também pode aumentar a probabilidade de ser visto por um predador. Da mesma forma, habitar tocas pode proteger o indivíduo da dureza do ambiente externo. No entanto, o indivíduo pode ter que defender sua toca dos concorrentes, aumentando assim os custos. Essas constantes trocas entre custos e benefícios moldam os comportamentos e as morfologias. Este simpósio visa mostrar exemplos de como a ecologia comportamental e a ecologia evolutiva podem nos ajudar a entender a diversidade e a evolução dos crustáceos. Para isso, daremos exemplos de: (1) como a camuflagem e a cor aumentam a sobrevivência dos crustáceos; (2) como encontrar um parceiro pode facilitar a evolução de comportamentos e morfologias extravagantes; e (3) como a luta influencia a evolução das garras. Durante as palestras do simpósio mostraremos como a teoria pode ser usada para fazer inferências mais amplas sobre a evolução, além de demonstrar como essas inferências nos ajudam a entender a evolução dos crustáceos.

S9: Diversidade e Evolução em Crustáceos do Mar profundo

COORDINATOR

Diversity of decapod crustaceans in Brazilian deep sea

Irene Cardoso

Museu Nacional / UFRJ (Brazil)

Revealing the deep sea secrets: larval development of the superfamily Oplophoroidea

Cátia Bartilotti

Instituto Português do Mar e da Atmosfera, I.P. (IPMA, I.P.) /Portuguese Institute for the Sea and Atmosphere

Using Genomics to study the Earth Final Frontier: Advancements in Deep-Sea Crustaceans

Pedro A. Peres

Florida International University (USA)

Depth as a Driver of Evolution of Squat Lobsters

Dr. Paula Carolina Rodríguez Flores

Flores Harvard University (USA)

Duração: 2 horas.

Uma das últimas fronteiras do conhecimento humano, o mar profundo, é um ambiente incrível e desafiador. Com temperaturas em torno de 4ºC, pressão extrema, ausência de luz solar e recursos alimentares escassos, já foi imaginado como um ambiente homogêneo e quase sem vida. No entanto, provou ser altamente variável, com muitos tipos de habitats, desde cadeias de montanhas, trincheiras, planícies abissais, fontes termais, fontes frias, recifes de corais e jardins de esponjas. Uma grande variedade de formas de vida ocorre nesses habitats, entre eles os crustáceos, que são um dos grupos mais diversos e abundantes. Técnicas modernas de amostragem e pesquisa, como veículos operados remotamente (ROVs) e biologia molecular, têm nos permitindo aprender muito mais sobre os crustáceos das profundezas marinhas. Este simpósio abordará aspectos da diversidade e evolução dos crustáceos que vivem no mar profundo, incluindo abordagens sistemáticas e genéticas. Venha conosco descobrir mais sobre essa última fronteira!

S10: Crustáceos como Organismos Modelo em Toxicologia Aquática

COORDINATOR

Denis Moledo de Souza Abessa

UNESP, IB, Campus do Litoral Paulista (Brazil)

Tolerances of multiple stressors and calculated safety margins predict responses to extreme environmental conditions in crustaceans decapods

Mariana Vellosa Capparelli

Instituto De Ciencias del Mar y Limnología, Universidad Nacional Autónoma de México

The use of aquatic and soil crustaceans in ecotoxicology: advantages, challenges and advances

Susana Patrícia Mendes Loureiro

University of Aveiro (Portugal)

Biomarkers in Crustacean, analysis in different levels of biological organization.

Pablo Agustín Collins

Instituto Nacional de Limnología (Argentina)

Duração: 2 horas.

A ecotoxicologia é um campo da ciência que envolve a investigação dos efeitos de poluentes em organismos e ecossistemas. Historicamente, muitos estudos de toxicologia aquática têm sido feitos com crustáceos, devido à sua relevância ecológica, importância econômica e sensibilidade. Este simpósio se concentrará no uso de crustáceos como organismos-modelo em toxicologia aquática, e incluirá discussões sobre seu papel histórico como organismos-teste usados em ensaios padronizados de toxicidade, bem como seu uso como modelos em estudos envolvendo efeitos moleculares, fisiológicos, bioquímicos, histopatológicos e comportamentais (biomarcadores). A ideia principal é fornecer uma visão geral do uso de crustáceos em toxicologia aquática, bem como discutir perspectivas para o futuro.

SPONSOR

ORGANIZADORES

CO-ORGANIZADORES

 
COPYRIGHT © 2019 CBC-TCS. TODOS DIREITOS RESERVADOS. SITE DESENVOLVIDO POR GP STUDIO
pt_BRPortuguês do Brasil
en_USEnglish pt_BRPortuguês do Brasil